Monthly Archives: novembro 2016

São Lourenço da Mata: ouvindo a comunidade para reelaborar o PPP

O novo e a história convivem no município de São Lourenço da Mata, mais de 111 mil habitantes segundo o IBGE. Pouco antes de chegar à zona urbana, destaca-se a Arena Pernambuco, um dos estádios construídos para a Copa do Mundo de 2014. A poucos quilômetros dali, a rica trajetória cultural pernambucana é representada pelo conjunto integrando a Igreja Matriz da Luz (considerada a segunda mais antiga do Brasil) e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, cada uma de um lado da praça central do Distrito de Nossa Senhora da Luz, cujos moradores em grande parte trabalham nos engenhos de cana da região.
 
Neste cenário de contrastes, a Escola Municipal “Jair Pereira de Oliveira” reconstruiu o Projeto Político Pedagógico de sua Educação Infantil, com ampla participação comunitária. Entre outros estiveram presentes líderes comunitários, pais e mães de alunos e o pároco da Matriz da Luz, padre Davi Gonçalves da Silva. “Temos muitos engenhos, a população luta muito e gosta de participar da vida da escola”, diz o religioso, sinalizando como foi importante a abertura que escola deu para a comunidade.
 
“Aprendemos muito com a comunidade e por isso a respeitamos”, enfatiza a diretora da EM “Jair Pereira de Oliveira”. “O mais importante é que os pais ficaram mais conscientes do papel do brincar para o desenvolvimento dos seus filhos”, ressalta Damiana Maria do Nascimento, professora de Educação Infantil na escola.
 
Esse modelo de reformulação do PPP foi observado nas demais unidades escolares de São Lourenço da Mata que contam com Educação Infantil e todas salientam que um dos ganhos foi justamente na consolidação do brincar como ingrediente essencial para as crianças das creches e pré-escolas. “Não é mais o brincar por brincar, mas brincar com direcionamento, com método e objetivo”, nota Mirian José Bandeira da Silva, técnica de Educação Infantil da Secretaria Municipal.
 
“A alfabetização é importante, mas existe o momento para isso. Na educação infantil é fundamental o aprender brincando”, diz por sua vez Julieta Neri de Medeiros, supervisora de Educação Infantil na mesma Secretaria. “É possível propiciar o brincar mesmo em pequenos espaços, é possível estimular a criatividade com pouco”, completa Maria Irani de Freitas Santos, professora de Educação Infantil da rede de São Lourenço, e que atuou intensamente no processo de reconstrução dos PPPs.
 
Inovação, no momento de discussão da Educação Infantil no Plano Municipal de Educação e na reformulação dos PPPs. Essa pode ser uma síntese da trajetória do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade em São Lourenço da Mata, sustenta Marize das Graças da Silva Duarte, técnica da divisão de Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação.
 
Ela entende que, após o Programa, a Educação Infantil nunca mais será a mesma no município. “Nós já tínhamos grupos de estudos muito ativos em Educação Infantil. Mas a contribuição do Programa Primeiro a Infância foi enorme. Temos uma nova concepção em Educação Infantil, como um direito das crianças e como um espaço de colaboração entre a escola, os pais e a comunidade”, relata a professora Marize, animada com o futuro da Educação Infantil no município.
 
As mudanças derivadas das discussões ligadas ao Programa Primeiro a Infância já estão acontecendo. Um emblema disso foi o gesto de Maria José Silva dos Santos, professora de Educação Infantil da EM “Jair Pereira de Oliveira”, no distrito da Matriz da Luz. Ela mesma liderou uma campanha e viabilizou as obras para novos bebedouros para as crianças, na altura delas. As obras foram feitas no contexto de uma reflexão sobre a importância da água e do saneamento para a escola e a comunidade. “Todos podem contribuir para uma vida com mais qualidade”, explica a professora.
 
 
 
 

29/11/16|

Camaragibe: a valorização do brincar na educação infantil

O espaço do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) “Judith Maria Brasil da Rocha”, em Tabatinga, município de Camaragibe, é um convite ao brincar. Em formato circular, a sua parte central é uma ampla área a céu aberto com jardim, faixa gramada e parquinho. “Sempre valorizamos o brincar e ainda mais depois do Programa Primeiro a Infância”, afirma a diretora da escola, Ana Cláudia Xavier da Silva.
 
A diretora assinala que a importância do brincar na educação infantil ficou ainda mais evidente durante o processo de reelaboração do Projeto Político Pedagógico da escola. “Ficou um documento vivo, com a grande participação da comunidade”, resume Ana Cláudia.
 
O processo participativo é, de fato, evidenciado por mães, professores e funcionários do CMEI. Mãe de Davi Vitor, de 6 anos, Shirlaine Maria da Silva aplaude a abertura que a escola deu para a palavra da família. “Os pais devem participar, para saber o que acontece no dia a dia da escola onde está o seu filho”, ela resume. “Aprendi muito com essas reuniões, foi muito bom receber os pais”, diz por sua vez Lúcia André Barreto, funcionária do CMEI.
 
“Conheço muito mais da escola após a reelaboração do PPP, que organizou melhor a nossa prática pedagógica, com ênfase no brincar”, complementa Aldeci Pereira dos Santos, professora na mesma escola, sintetizando o espírito participativo verificado no processo de reconstrução dos PPPs em Camaragibe, na segunda etapa do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade, dando sequência ao que foi trabalhado no Plano Municipal de Educação.
 
Diretora da Escola Municipal de Educação Infantil XV de Novembro, da Vila da Fábrica, bairro considerado o marco zero de Camaragibe, Carla Viviane da Silva acentua a relevância da reelaboração do PPP de forma participativa. “A comunidade sabe o que é necessário para as crianças. Ter a avó, a mãe, o pai é muito importante, a escola cresce junto”, acrescenta.
 
Por sua vez, Elissandra Marçal Serafim de Santana, diretora do CMEI “Manoel Rito”, enfatiza a importância da escola ouvir a própria criança. “A criança deve ter vez e voz e nesse sentido a escola deve propiciar as condições para que ela brinque, explore, como já pediam os Parâmetros Curriculares Nacionais e, agora, propõe a Base Nacional Comum Curricular”, assinala a diretora.
 
O envolvimento das comunidades na reconstrução do PPP é a maior garantia de que eles serão implementados, observa a secretária municipal de Educação de Camaragibe, Adriana Cecília Dantas, que participou ativamente de todas as etapas do Programa Primeiro a Infância no município. “O PPP não será mais como era, um documento que às vezes ficava engavetado. Com todos participando, ele é um símbolo do que a comunidade deseja. O monitoramento de sua execução continuará sendo feito assim”, acredita a secretária.
 
Coordenadora do Ensino Fundamental e do Programa de Alfabetização na Idade Certa em Camaragibe, Maria Luciene da Silva sustenta que o Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como prioridade deixa marcas profundas na educação infantil no município, mas também na educação em geral.
 
À medida que foram avançando as discussões para a reelaboração dos PPPs, assinala, ficou cada vez mais evidente a importância do processo participativo. E o processo foi tão rico, ela frisa, que o formato foi levado para a reformulação dos PPPs do ensino fundamental. “A educação infantil com certeza passou a ter maior visibilidade, o município tem de fato uma política para a educação infantil”, complementa Rosineide Cabral da Silva Souza, coordenadora da Educação Infantil em Camaragibe, cuja experiência também estará presente no Seminário do dia 7 de dezembro. Camaragibe tem 155.228 moradores, segundo o IBGE.
 
 
 
 

29/11/16|

Cabo de Santo Agostinho: o respeito à cultura local

Uma a uma as crianças vão respondendo à pergunta da professora, sobre qual planta era aquela, na pequena horta estruturada no centro do espaço da Escola Municipal “Dr.José Roberto Monteiro”, no Assentamento do Engenho, em Arariba de Baixo, zona rural de Cabo de Santo Agostinho: “alfacinha”, “quiabo”, “tomatinho”.
 
Assim as crianças das séries de Educação Infantil da unidade escolar vão tendo desde cedo o contato com a sua realidade e a dos pais, em um assentamento formado desde 1992 e onde vivem cerca de 150 famílias. Esse contexto sociocultural foi levado em conta na reformulação do Projeto Político Pedagógico da unidade escolar (que também recebe alunos do ensino fundamental), no âmbito da evolução do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade.
 
“A escola procurou valorizar a identidade, a história das crianças e suas famílias, na discussão do PPP”, diz Eliane Marques Duarte, supervisora pedagógica da unidade escolar. O diretor da EM “Dr.José Roberto Monteiro”, Izael Santana do Nascimento, nota de sua parte que os valores de uma realidade rural foram considerados na reformulação do PPP da escola.
 
A trajetória de reformulação do PPP da escola do assentamento rural é significativa de como tem sido a implementação do Programa Primeiro a Infância em Cabo de Santo Agostinho. Município com enorme diversidade ambiental e sociocultural, abrangendo paisagens que vão de belas praias a canaviais e agitada zona urbana, Cabo tem mais de 202 mil habitantes em 2016, nas estimativas do IBGE.
 
A gerente de Ensino da Secretaria Municipal de Educação, Benedita Verônica Gomes da Costa, destaca que houve um trabalho conjunto com a gerência de Gestão Democrática para viabilizar a execução do Programa. “Desde o Plano Municipal de Educação, com suas metas decenais, o Programa tem contribuído muito, o que se acentuou no momento de reformulação dos PPP”, afirma a gerente de Ensino. “Nunca mais a construção do PPP será da mesma forma em Cabo de Santo Agostinho, porque o Programa mostrou que é possível fazê-lo de forma participativa”, complementa Bendita Verônica Gomes da Costa.
 
A gerente da Gestão Democrática, Analice Pereira de Souza, lembra que um dos desafios foi como abranger o conjunto de 97 escolas, “cada uma com sua individualidade”. Ela conta que as unidades escolares foram agrupadas e cada grupo acompanhado por uma técnica pedagógica, de modo a viabilizar a ampla participação no processo, inicialmente com o desenho de um documento norteador para a reformulação dos PPP.
 
Como um dos pilares da discussão dos novos PPP em Cabo de Santo Agostinho – assim como nos dois outros municípios parceiros do Fundo Juntos pela Educação – esteve o professor. “É o professor quem garante os direitos das crianças em seu processo educacional, é quem dá importante apoio nessa fase importante da vida”, salienta Cleide Celes, professora e formadora de professores em Educação Infantil em Cabo de Santo Agostinho.
 
“O Programa Primeiro a Infância mostrou que é possível contemplar uma nova agenda na Educação Infantil, descontruindo concepções para gestar o novo”, frisa Clésia Mendonça, uma das técnicas da Secretaria de Educação que acompanharam as escolas. Técnica da mesma Secretaria, Maria do Carmo Costa admite que “foi desafiador convocar as famílias, as comunidades, mas o Programa propiciou novo olhar para a Educação Infantil, que passa a ser mais valorizada diante de outros ciclos educacionais”.
 
Professor na Escola Municipal do assentamento de Arariba de Baixo, formado em Pedagogia da Terra, Edivânio Antônio de Souza aprovou a ampla discussão com a comunidade. “Foi valorizado o coletivo, fundamental em época de individualismo”, sintetiza o educador.
 
 
 
 

29/11/16|

Seminário debate aprendizados do Programa Primeiro a Infância

No dia 7 de dezembro, um seminário no Centro de Convenções de Pernambuco debaterá os aprendizados do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade, implementado desde 2015 em três municípios de Pernambuco. São esperados mais de 300 participantes.
 
O Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade é uma iniciativa do Fundo Juntos pela Educação, constituído por Instituto Arcor Brasil e Instituto C&A. A partir da premissa de que a infância deve estar no centro da agenda nacional e de que deve ter prioridade nas políticas públicas, o Programa visa contribuir com a qualidade na educação infantil dos municípios parceiros.
 
A Convenção sobre os Direitos da Criança, adotada pelas Nações Unidas a 20 de novembro de 1989, é uma referência importante para as linhas seguidas no Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade.
 
Os municípios de Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe e São Lourenço da Mata, os três na Região Metropolitana de Recife, são o território de desenvolvimento do Programa, cuja implementação está a cargo da Oficina Municipal, organização contratada pelo Fundo Juntos pela Educação.
 
Planos municipais de educação – O primeiro passo para a execução do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade foi o contato dos formadores do Fundo Juntos pela Educação com as secretarias de Educação nos três municípios.
 
Confirmadas as parcerias, veio o momento inicial de contribuição do Programa, na elaboração do que os respectivos Planos Municipais de Educação estavam tratando sobre Educação Infantil. Pelos termos do Plano Nacional de Educação, de 2014, os Planos Municipais de Educação (PMEs) deveriam ser elaborados ou revistos e depois aprovados pelas Câmaras Municipais até 24 de junho de 2015.
 
“Os três municípios já estavam formulando os seus Planos de Educação. Foi um momento importante para a aproximação com as equipes das Secretarias Municipais de Educação, visando maior alinhamento sobre os propósitos do Programa Primeiro a Infância”, observa Gustavo Adolfo Pedrosa Daltro Santos, gerente de programas da Oficina Municipal.
 
Projeto Político Pedagógico – Construídos e promulgados os Planos Municipais de Educação, com princípios e metas para os próximos dez anos, foi definido, em conjunto com os municípios, o Projeto Político Pedagógico (PPP) como o instrumento que colocaria em prática, nas escolas, o que os PMEs estabeleceram.
 
Ex-diretora de escola estadual, tendo atuado por muitos anos na rede escolar, e responsável na Oficina Municipal pela coordenação técnica do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade, Oneide Ferraz Alves explica como foi a escolha do PPP como a ferramenta a ser trabalhada no segundo momento do Programa.
 
“É na escola que o Plano Municipal de Educação realmente é colocado em prática e o PPP foi escolhido porque ele é um instrumento de gestão que permite a participação de todos, da equipe gestora, dos educadores, dos funcionários, das famílias e dos alunos, na discussão sobre o que a unidade escolar pensa sobre si e projeta para os próximos anos”, afirma Oneide.
 
A coordenadora técnica salienta que, superados alguns receios iniciais, os PPP tornaram-se, de fato, elementos de grande valia para a mobilização de toda a comunidade das escolas, para a reflexão sobre o que pensam e executam ou podem aprimorar na Educação Infantil. “As concepções de Educação Infantil foram questionadas, as escolas ficaram muito mais atentas a pontos que podem levar a uma Educação Infantil de maior qualidade”, completa Oneide Ferraz Alves.
 
Uma das contribuições essenciais do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade é que foi acentuado o papel do brincar como “eixo estruturante do cotidiano das crianças” nas unidades de educação infantil dos três municípios, observa por sua vez Cida Freire. Com longa trajetória na Educação Infantil em Pernambuco, ela atua como consultora do Programa desde o início de 2016.
 
“Brincar humaniza, é o jeito de estar da criança no mundo, é a forma dela se tornar mais solidária e explorar o espaço onde ela está”, assinala Cida Freire. Através do brincar, ela completa, são colocadas em prática as Diretrizes Curriculares da Educação Infantil, que indicam “os saberes que as crianças adquirem no contato com o grande banquete que a sociedade oferece em termos de patrimônio artístico, cultural e ambiental”.
 
Experiências em discussão – Será a experiência de cada município, na reformulação dos PPP das unidades de educação infantil, que estará em discussão no seminário do dia 7 de dezembro no Centro de Convenções de Pernambuco, entre 7h30 e 12 horas. Está prevista a participação de mais de 300 pessoas, entre educadores, gestores, funcionários, pais e alunos das três redes municipais, além de convidados de outros municípios da Região Metropolitana de Recife.
 
Entre os convidados estarão membros das novas equipes gestoras das Secretarias Municipais de Educação, que tomarão posse em janeiro de 2017. Serão as equipes que acompanharão a continuidade da implementação dos planos de ação previstos em cada um dos PPP construídos de forma participativa nas unidades de Educação Infantil nos três municípios.
 
 
 
 

29/11/16|