O processo de estruturação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), incluindo as orientações para a Educação Infantil, entrou em sua etapa final de estruturação. A terceira versão deve estar pronta em março e será enviada para discussão no Conselho Nacional de Educação (CNE), antes da homologação pelo Ministério da Educação (MEC).
 
Os últimos passos para a definição da BNCC foram anunciados no dia 26 de janeiro, em Brasília, no encerramento dos seminários realizados para debater a evolução da Base. Na ocasião a secretária-executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, que preside o Comitê Gestor da BNCC, lembrou que duas versões da Base já foram elaboradas.
 
A primeira versão foi apresentada à sociedade em setembro de 2015, quando foi aberta consulta pública sobre o documento, que recebeu mais de 12 milhões de contribuições. A segunda versão, incorporando as sugestões apresentadas, foi divulgada em maio de 2016.
 
A nova versão foi então discutida em seminários regionais promovidos pelo Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed) e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). Novas avaliações e contribuições foram feitas e em março de 2017 deve estar concluída a terceira versão da BNCC, destacou Maria Helena Castro.
 
No Conselho Nacional de Educação (CNE), serão realizadas audiências públicas para apreciação do documento. Após parecer do CNE, a Base será encaminhada para homologação pelo ministro da Educação.
 
Será então definida a estratégia de implantação da BNCC, em conjunto com as redes de ensino, compreendendo a adequação dos currículos, a formação de professores, a adaptação de material didático e a revisão de matrizes de avaliação. Novas orientações para a Educação Infantil serão incluídas na Base Nacional Comum Curricular, construída com o propósito anunciado de promover maior equidade e qualidade do ensino no país, por meio de uma referência comum obrigatória para todas as escolas de educação básica, respeitando a autonomia assegurada pela Constituição aos entes federados – municípios, estados e o Distrito Federal – e às escolas.