O Mês de Valorização da Paternidade será mais uma vez celebrado em agosto, em todo Brasil, em parceria entre o Ministério da Saúde e demais áreas do poder público e organizações da sociedade civil. Será o primeiro Mês de Valorização da Paternidade após a edição do Marco Legal da Primeira Infância, que introduziu novidades no setor.
 
A Lei Federal no 13.257/2016, que instituiu a Política Integrada da Primeira Infância, estipula a ampliação da licença-paternidade, de 5 para 20 dias, para os trabalhadores de empresas inscritas no Programa Empresa Cidadã.
 
Mas o Mês de Valorização da Paternidade tem objetivos maiores, como os de promover o engajamento dos homens nas ações do planejamento reprodutivo e no acompanhamento do pré-natal, do parto e do pós-parto de suas parceiras e nos cuidados no desenvolvimento da criança, com a possibilidade real de melhoria na qualidade de vida para todas as pessoas envolvidas e vínculos afetivos saudáveis.
 
O Mês de Valorização da Paternidade foi instituído pelo Comitê Vida, grupo de trabalho intersetorial que reúne profissionais de organizações governamentais e não-governamentais, universidades e demais pessoas e instituições interessadas.
 
A Coordenação Nacional de Saúde do Homem (CNSH), do Ministério da Saúde, dá respaldo à inciativa e estimula que essa ação seja nacional. A ação é baseada em um dos eixos prioritários da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH): Paternidade e Cuidado.
 
Entre as ações que estão sendo planejadas para o Mês de Valorização da Paternidade estão:
- Convite a todos os profissionais de saúde, gestores, educadores a desenvolverem ações de Paternidade e Cuidado;
- Lançamento e oficinas de capacitação do Guia do Pré-Natal do Parceiro para Profissionais de Saúde em seis Estados e Distrito Federal;
- Divulgação dos resultados preliminares da pesquisa “Saúde do Homem – Paternidade e Cuidado”;
- Divulgação de textos nas mídias sociais do Ministério da Saúde sobre a ampliação da licença paternidade;
- Envio de textos sobre paternidade e cuidado para as coordenações estaduais e municipais de Saúde do Homem.
 
A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), instituída por meio da Portaria GM/MS nº 1.944, de 27/08/2009, tem como objetivo a promoção de ações de saúde que possibilitem a apreensão da realidade dos homens entre 20 e 59 anos de idade, sendo o Brasil um dos primeiros países a formular uma política direcionada a este segmento populacional e instituir uma Coordenação no Governo Federal. Os outros países são Irlanda (2008) e a Austrália (2010).