Promoção do direito à educação e à cidadania é o foco de redes intersetoriais em três estados brasileiros, nascidas ou fortalecidas em função de projetos apoiados pelo Fundo Juntos pela Educação. As redes atuam no Ceará, na Paraíba e em São Paulo.
 
A origem das redes está no Programa pela Educação em Tempo Integral, realizado entre 2006 e 2010, e no Programa pela Educação Integral, executado entre 2011 e 2013, pelo Fundo Juntos pela Educação, constituído em 2004 pelo Instituto Arcor Brasil, Instituto C&A e Fundo Vitae.
 
O propósito dos dois programas era apoiar a formação ou o fortalecimento de redes em territórios específicos, envolvendo escolas públicas, organizações comunitárias e outros atores locais, para promover a educação integral de crianças e adolescentes.
 
O Programa pela Educação em Tempo Integral foi implementado no município de Campinas (SP) e nos municípios de João Pessoa, Santa Rita e Lucena, na Paraíba.
 
Deriva desse período a Rede Novas Atitudes.Com, construída no Jardim Satélite Íris, na periferia de Campinas. É uma das regiões de alta vulnerabilidade social no município, com mais de 150 mil habitantes.
 
Entre outras atividades, foram oferecidas oficinas de informática, esportes e artes durante os cinco anos de vigência do projeto. Um dos destaques foi a inserção da tecnologia da lousa digital, utilizada na Escola Estadual “Professora Rosina Frazatto dos Santos” mas compartilhada com toda comunidade.
 
Com o fim do projeto apoiado pelo Fundo Juntos pela Educação, a rede continuou atuando no Jardim Satélite Íris, sempre com apoio do Instituto Arcor Brasil. Já são várias grandes intervenções no bairro e região.
 
A Rede Novas Atitudes.Com mobiliza os moradores, por exemplo, em função do Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de março, e do Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado a 18 de maio.
 
Além da EE “Profª. Rosina Frazatto dos Santos”, integram a Rede Novas Atitudes.Com as organizações Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) do Satélite Íris; CRAS Florence, Casa de Maria de Nazaré, Unidade III Casa Hosana, PROGEN, EE. São Judas Tadeu, Comunidade CRAMI, EMCEA, CEASCOM, Hospital PUC-Campinas e CREAS Noroeste.
 
No último dia 11 de setembro, a trajetória da Novas Atitudes.Com foi uma das experiências apresentadas e discutidas em São Paulo durante a terceira edição do “Dialogando”, evento promovido pelo Instituto Lina Galvani para incentivar a troca de conhecimento na área de desenvolvimento comunitário.
 
Ainda em Campinas, continua atuando a Rede Abraço, na região dos Amarais, que também abrange vários bairros de vulnerabilidade social. A Rede Abraço recebeu apoio do Fundo Juntos pela Educação, através do Projeto Além das Letras, que entre outras ações promoveu a formação de bibliotecas em escolas públicas e organizações sociais.
 
Em João Pessoa, tem sido intensa a atuação da Rede Crer Ser, resultante do projeto do mesmo nome, apoiado entre 2006 e 2010 pelo Fundo Juntos pela Educação. “A Rede Crer Ser atua na defesa de direitos e promoção da cultura da paz, com base no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, observa Teomary Alves, professora da Escola Municipal “Santa Ângela”, uma das escolas que integram a rede, atuante na populosa região do Cristo e Rangel, na capital paraibana.
 
A Rede Crer Ser promove reuniões permanentes e nelas são discutidos problemas e desafios comuns às escolas e demais membros, diz a professora Teomary. “Procuramos por exemplo identificar situações de trabalho infantil, de crianças em situação de rua ou com dificuldade de leitura. A diminuição da evasão escolar é um dos objetivos e ela tem acontecido”, destaca a educadora.
 
Outras redes foram criadas em João Pessoa tendo a Crer Ser como referência. Casos das redes Varadouro-Roger e da Amigos da Ilha do Bispo. Atualmente a Rede Crer-Ser atua como uma organização não-governamental e tem apoio de uma organização italiana (Fondazione San Zeno) para implementação de um programa de cultura da paz.
 
No Ceará, atua a Rede pela Educação Integral. A sua origem está nos quatro projetos apoiados pelo Fundo Juntos pela Educação no estado, entre 2011 e 2013, no âmbito do Programa pela Educação Integral.