O novo e a história convivem no município de São Lourenço da Mata, mais de 111 mil habitantes segundo o IBGE. Pouco antes de chegar à zona urbana, destaca-se a Arena Pernambuco, um dos estádios construídos para a Copa do Mundo de 2014. A poucos quilômetros dali, a rica trajetória cultural pernambucana é representada pelo conjunto integrando a Igreja Matriz da Luz (considerada a segunda mais antiga do Brasil) e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, cada uma de um lado da praça central do Distrito de Nossa Senhora da Luz, cujos moradores em grande parte trabalham nos engenhos de cana da região.
 
Neste cenário de contrastes, a Escola Municipal “Jair Pereira de Oliveira” reconstruiu o Projeto Político Pedagógico de sua Educação Infantil, com ampla participação comunitária. Entre outros estiveram presentes líderes comunitários, pais e mães de alunos e o pároco da Matriz da Luz, padre Davi Gonçalves da Silva. “Temos muitos engenhos, a população luta muito e gosta de participar da vida da escola”, diz o religioso, sinalizando como foi importante a abertura que escola deu para a comunidade.
 
“Aprendemos muito com a comunidade e por isso a respeitamos”, enfatiza a diretora da EM “Jair Pereira de Oliveira”. “O mais importante é que os pais ficaram mais conscientes do papel do brincar para o desenvolvimento dos seus filhos”, ressalta Damiana Maria do Nascimento, professora de Educação Infantil na escola.
 
Esse modelo de reformulação do PPP foi observado nas demais unidades escolares de São Lourenço da Mata que contam com Educação Infantil e todas salientam que um dos ganhos foi justamente na consolidação do brincar como ingrediente essencial para as crianças das creches e pré-escolas. “Não é mais o brincar por brincar, mas brincar com direcionamento, com método e objetivo”, nota Mirian José Bandeira da Silva, técnica de Educação Infantil da Secretaria Municipal.
 
“A alfabetização é importante, mas existe o momento para isso. Na educação infantil é fundamental o aprender brincando”, diz por sua vez Julieta Neri de Medeiros, supervisora de Educação Infantil na mesma Secretaria. “É possível propiciar o brincar mesmo em pequenos espaços, é possível estimular a criatividade com pouco”, completa Maria Irani de Freitas Santos, professora de Educação Infantil da rede de São Lourenço, e que atuou intensamente no processo de reconstrução dos PPPs.
 
Inovação, no momento de discussão da Educação Infantil no Plano Municipal de Educação e na reformulação dos PPPs. Essa pode ser uma síntese da trajetória do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade em São Lourenço da Mata, sustenta Marize das Graças da Silva Duarte, técnica da divisão de Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação.
 
Ela entende que, após o Programa, a Educação Infantil nunca mais será a mesma no município. “Nós já tínhamos grupos de estudos muito ativos em Educação Infantil. Mas a contribuição do Programa Primeiro a Infância foi enorme. Temos uma nova concepção em Educação Infantil, como um direito das crianças e como um espaço de colaboração entre a escola, os pais e a comunidade”, relata a professora Marize, animada com o futuro da Educação Infantil no município.
 
As mudanças derivadas das discussões ligadas ao Programa Primeiro a Infância já estão acontecendo. Um emblema disso foi o gesto de Maria José Silva dos Santos, professora de Educação Infantil da EM “Jair Pereira de Oliveira”, no distrito da Matriz da Luz. Ela mesma liderou uma campanha e viabilizou as obras para novos bebedouros para as crianças, na altura delas. As obras foram feitas no contexto de uma reflexão sobre a importância da água e do saneamento para a escola e a comunidade. “Todos podem contribuir para uma vida com mais qualidade”, explica a professora.