Juntos pela Educação
Sem categoria

Educação Infantil em Rio das Pedras: melhoria contínua nas escolas

Pintura ao ar livre, na EMEI “Nelson Rosamilha” (Fotos José Pedro Martins)

Geovana, Laura e demais colegas pintam com entusiasmo caixas de ovos, enquanto bem perto outras meninas e meninos estão imersos na prazerosa tarefa de juntar peças para montar diversos brinquedos: casas, carros, bonecos. Assim é uma aula ao ar livre em manhã ensolarada na Escola Municipal de Educação Infantil “Nelson Rosamilha”, em Rio das Pedras.

A EMEI é a única unidade com creche e pré-escola na rede de Educação Infantil do município. Outras três unidades contemplam apenas pré-escola e cinco são creches. Nove unidades, portanto, na rede de Educação Infantil de Rio das Pedras, município com uma população de mais de 33 mil moradores em 2018, de acordo com a Fundação SEADE.

O município tem um dos menores índices de mortalidade infantil no estado de São Paulo e no Brasil. O índice era de 5,13 por mil nascidos vivos em 2017, ainda segundo a Fundação SEADE. O número, que representa menos da metade do que a média estadual (de 10,74 por mil), é um indicador da preocupação central que o município tem com as crianças pequenas e a busca de melhoria contínua na Educação Infantil comprova essa inquietação.

Criatividade em sala de aula

Amplo espaço para brincadeiras – Com mais de 320 alunos, a EMEI “Nelson Rosamilha” conta com amplo espaço para brincadeiras, ingrediente que a escola passou a valorizar ainda mais com o Programa Primeiro a Infância, nota a diretora, Rejane Cristina Guizo.

Enquanto acompanha as brincadeiras que as crianças de sua sala fazem, a professora Elzilene Pimpinatto Cuevas comenta a importância da Educação Infantil para o processo de desenvolvimento pleno. “É o início de tudo, é quando podemos incentivar as potencialidades, através da da imaginação e das brincadeiras”, resume.

Professora há 26 anos na Educação Infantil, Luciene dos Santos Duarte ressalta, por sua vez, o potencial criador das crianças. “Nós acabamos aprendendo muito com elas. É preciso deixá-las se expressar livremente”, defende a educadora.

Hora da imaginação na criação de objetos

De fato a EMEI “Nelson Rosamilha” procurou valorizar muito a escuta das crianças no processo de construção participativa do Projeto Político Pedagógico, eixo central do Programa Primeiro a Infância, observa a diretora Rejane Cristina Guizo. Ela também destaca o progressivo entendimento dos pais sobre a importância de participação ativa na vida da escola.

“Os pais foram aos poucos percebendo que podem e devem participar. Com isso eles podem ajudar na melhoria da qualidade da educação para os próprios filhos”, define a diretora, enquanto mostra o parquinho, as salas da pré-escola, os berçários para os bebês que estão em pleno soninho. E logo depois o esperado almoço, fundamental em uma escola que tem parte de seus alunos em tempo integral.

Hora do almoço na Creche “Padre Geraldo Moreira César”

O mesmo ocorre na Creche e Pré-Escola Municipal “Padre Geraldo Moreira César”, que conta com cerca de 120 alunos, alguns deles da zona rural de Rio das Pedras. Muitos deles já estão prontos, esperando o transporte escolar, enquanto outros estão no saboroso almoço.

Nas salas de aula e berçários, educadoras e cuidadoras atentas às atividades monitoradas dos pequenos alunos. “É muito bom ver que cada vez mais a sociedade está vendo a Educação Infantil não mais apenas como momento ou espaço de cuidado, mas efetivamente de Educação. Uma etapa crucial do sistema educacional”, avalia a professora Tatiana Barrichello Farias.

À espera do transporte escolar, com muito colorido

A diretora da Creche e Pré-Escola, Mara Denise Moraes Teixeira Alves, sublinha que a valorização da Educação Infantil foi, realmente, um dos pontos-chave do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade, no contexto dos seis municípios participantes.

Ela também ressalta a relevância do processo participativo na construção do Projeto Político Pedagógico das unidades de Educação Infantil. “Temos um PPP muito mais dinâmico e sólido para quatro anos. Os pais se conscientizaram sobre a importância da participação e este é um elemento que ajuda a garantir a sustentabilidade do processo”, considera Mara Teixeira Alves.

Posts Relacionados

Fundo Juntos pela Educação celebra 15 anos de iniciativas inovadoras

Juntos Pela Educação

Após cinco anos, metas do PNE estão longe de serem cumpridas

Juntos Pela Educação

Educação Infantil em Saltinho na busca permanente da qualidade

Juntos Pela Educação

Deixe um Comentário