A importância da revisão participativa do Projeto Político Pedagógico em cada unidade escolar e a relevância estratégica da definição da Educação Infantil como uma das prioridades em políticas e planos educacionais municipais. Estes são alguns pontos em destaques no vídeo que documenta a implementação, entre 2015 e 2016, do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade, em três municípios pernambucanos.
 
O Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade é uma iniciativa do Fundo Juntos pela Educação, composto pelo Instituto Arcor Brasil e Instituto C&A, e foi idealizado com o objetivo de contribuir com a Educação Infantil em Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe e São Lourenço da Mata. A Oficina Municipal foi contratada pelo Fundo para a execução do Programa, em parceria com as secretarias de Educação dos três municípios.
 
Realizado pelo Fundo Juntos pela Educação, com apoio de todos os parceiros e produção da Light Filmes, o vídeo conta a trajetória e os aprendizados do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade. Foram feitas mais de 50 entrevistas, com gestores municipais e das unidades escolares, professores, pais de alunos, funcionários das escolas e outros membros das comunidades envolvidas.
 
Os depoimentos de mais de 30 desses personagens foram incluídos no documentário, que utiliza recursos especiais de gravação para enfatizar o passo a passo do Programa, desde o momento em que, no primeiro semestre de 2015, foram feitos os contatos do Fundo Juntos pela Educação com as três secretarias municipais de Educação.
 
Confirmadas as parcerias, veio o momento inicial de contribuição do Programa, na elaboração do que os respectivos Planos Municipais de Educação estavam tratando sobre Educação Infantil. Pelos termos do Plano Nacional de Educação, de 2014, os Planos Municipais de Educação (PMEs) deveriam ser elaborados ou revistos e depois aprovados pelas Câmaras Municipais até 24 de junho de 2015.
 
“Os três municípios já estavam formulando os seus Planos de Educação. Foi um momento importante para a aproximação com as equipes das Secretarias Municipais de Educação, visando maior alinhamento sobre os propósitos do Programa Primeiro a Infância”, observa Gustavo Adolfo Pedrosa Daltro Santos, gerente de programas da Oficina Municipal.
 
Construídos e promulgados os Planos Municipais de Educação, com princípios e metas para os próximos dez anos, foi definido, em conjunto com os municípios, o Projeto Político Pedagógico (PPP) como o instrumento que colocaria em prática, nas escolas, o que os PMEs estabeleceram para a melhoria da qualidade do trabalho realizado com as crianças. “É na escola que o Plano Municipal de Educação realmente é colocado em prática e o PPP foi escolhido porque ele é um instrumento de gestão que permite a participação de todos, da equipe gestora, dos educadores, dos funcionários, das famílias e dos alunos, na discussão sobre o que a unidade escolar pensa sobre si e projeta para os próximos anos”, afirma Oneide Ferraz Alves, coordenadora técnica do Programa Primeiro a Infância pela Oficina Municipal.
 
A segunda fase do Programa foi então a reconstrução do Projeto Político Pedagógico (PPP) de cada unidade de educação infantil nos três municípios. O vídeo sobre a iniciativa documenta os aprendizados da construção participativa do PPP. O filme destaca, por exemplo, a experiência da Escola Municipal “Jair Pereira de Oliveira”, do Distrito da Luz, em São Lourenço da Mata, que reconstruiu o Projeto Político Pedagógico de sua Educação Infantil, com ampla participação comunitária. Entre outros estiveram presentes líderes comunitários, pais e mães de alunos e o pároco da Matriz da Luz, padre Davi Gonçalves da Silva.
 
Em destaque, também, o trabalho do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) “Judith Maria Brasil da Rocha”, em Tabatinga, município de Camaragibe. O processo participativo foi evidenciado por mães, professores e funcionários do CMEI. Mãe de Davi Vitor, de 6 anos, Shirlaine Maria da Silva aplaudiu a abertura que a escola deu para a palavra da família. “Os pais devem participar, para saber o que acontece no dia a dia da escola onde está o seu filho”, resumiu. “Aprendi muito com essas reuniões, foi muito bom receber os pais”, disse por sua vez Lúcia André Barreto, funcionária do CMEI.
 
A valorização da cultura local, por sua vez, foi apontada na construção do PPP da Escola Municipal “Dr. José Roberto Monteiro”, no Assentamento do Engenho, em Arariba de Baixo, zona rural de Cabo de Santo Agostinho. “O Programa Primeiro a Infância mostrou que é possível contemplar uma nova agenda na Educação Infantil, descontruindo concepções para gestar o novo”, disse Clésia Mendonça, uma das técnicas da Secretaria de Educação que acompanharam as escolas. Técnica da mesma Secretaria, Maria do Carmo Costa admitiu que “foi desafiador convocar as famílias, as comunidades, mas o Programa propiciou novo olhar para a Educação Infantil, que passa a ser mais valorizada diante de outros ciclos educacionais”.
 
A construção do diagnóstico com a situação de cada escola e sua inserção na comunidade; as diferentes formas de mobilização das comunidades para a revisão do PPP; a incorporação de novas concepções de Educação Infantil, vista como um direito de cidadania das crianças – foram vários aprendizados registrados nos dois anos de implementação do Programa Primeiro a Infância – Educação Infantil como Prioridade. É o conteúdo do vídeo que pode ser apreciado no site do Fundo Juntos pela Educação. Clique aqui para assistir ao vídeo.